Want to make creations as awesome as this one?

Transcript

Página 230

Camilo Pessanha

Água morrente

Índice

06

05

04

03

02

01

Bibliografia

Perguntas

Análise Interna

Análise externa

Água morrente- OPoema

Camilo Pessanha

Nasceu a 7 de setembro de 1867 em Coimbra, como filho ilegítimo. Tirou o curso de direito em Coimbra, foi procurador régio em Mirandela em 1892, advogado em Óbidos em 1894, depois transferindo-se para Macau, onde, durante três anos, foi professor de filosofia. Foi um poeta português e a sua obra influenciou varios escritoresMorreu a 1 de março de 1926, em Macau devido ao uso excessivo de opio e a tuberculose pulmonar

Camilo Pessanha

Chora em meu coraçãoEnquanto chove na cidade

II pleure dans mon coeur Comme il pleut sur la ville verlaine

Meus olhos apagados,Vede a água cair.Das beiras dos telhados Cair,semmpre cair.Das beira dos telhados,Cair, quase morrerMeus olhos apagadosE cansados de ver.Meus olhos, afogai-vosNa vã tristeza ambiente Caí e derramai-vos Como água morrente.

O poema de água morrente tem três estrofes e cada estrofe tem 4 versos sendo assim quadras Tem 6 silabas metricas O esquema rimático é ABAB ou seja rima cruzada

Análise externa

O tema principal do poema parece ser a melancolia e a tristeza, expressas atrasvés da imagem da àgua a cair dos telhados e dos olhos apagados do eu lírico, que estão cansados de ver essa tristeza ao seu redor. A água a cair dos telhados pode simbolizar a inevitabilidade do sofrimento e a sensação de estar inundado poremoções negativas

Estrutura interna

Olhos, água, tristeza pois mostra a tristeza que é vista atras vez dos olhos e descrita atravez da água

11.1

Perguntas

https://folhadepoesia.blogspot.com/2014/01/agua-morrente-camilo-pessanha.html

Bibliografia