Want to make creations as awesome as this one?

Transcript

Gonçalo Teixeira 12ºC - 2023/24

Simon & Garkunfel

The Sound of silence

“A poesia tem comunicação secreta com os sofrimentos do homem” Pablo Neruda

Hello darkness, my old friend I've come to talk with you again Because a vision softly creeping Left its seeds while I was sleeping And the vision that was planted in my brain Still remains Within the sound of silence In restless dreams I walked alone Narrow streets of cobblestone Neath the halo of a street lamp I turned my collar to the cold and damp When my eyes were stabbed by the flash of a neon light That split the night And touched the sound of silence And in the naked light I saw Ten thousand people, maybe more People talking without speaking People hearing without listening People writing songs that voices never share And no one dared Disturb the sound of silence "Fools", said I, "you do not know Silence like a cancer grows Hear my words that I might teach you Take my arms that I might reach you" But my words, like silent raindrops fell And echoed in the wells of silence And the people bowed and prayed To the neon God they made And the sign flashed out its warning And the words that it was forming And the sign said, "The words of the prophets Are written on the subway walls And tenement halls And whispered in the sound of silence".

Olá, escuridão, minha velha amiga Vim falar contigo de novo Porque uma visão arrepiante veio suavemente Deixar sementes enquanto eu estava a dormir E a visão que foi plantada no meu cérebro Ainda está ali Dentro do som do silêncio

Em sonhos atormentados, andei sozinho Ruas estreitas de paralelepípedos Debaixo do resplendor de uma lâmpada de rua Virei o meu colarinho para o frio e para a humidade Quando meus olhos foram perfurados pelo lampejo de uma luz de neon Que cortou a noite E tocou o som do silêncio

E na luz nua eu vi Dez mil pessoas, talvez mais Pessoas conversando sem falar Pessoas ouvindo sem escutar Pessoas escrevendo músicas que vozes nunca cantaram E ninguém ousava Perturbar o som do silêncio

"Tolos", disse eu, "vocês não sabem? O silêncio cresce como um cancro Ouçam minhas palavras e poderei ensinar-vosPeguem minha mão e poderei alcançar-vos" Mas as minhas palavras caíram como gotas de chuva silenciosasE ecoaram pelos poços de silêncio

E as pessoas curvaram-se e rezaram Para o Deus de neon que elas criaram E a placa piscou um aviso E as palavras formaram-se

E a placa dizia, "As palavras dos profetas Estão escritas nas paredes do metro E nos corredores dos cortiços E sussurradas no som do silêncio»

Ao longo do poema repetem-se os recursos expressivos tais como:

  • Metáfora: "O som do silêncio"
  • Antítese: "Pessoas conversando sem falar"
  • Paradoxo: "Escrevendo músicas que vozes nunca cantaram"
  • Aliteração: "s" em "sonhos atormentados", "sozinho" e "estreitas"
  • Sinestesia : "O som do silêncio tocado pela luz de neon"
  • Enumeração: "Dez mil pessoas, talvez mais "

ANálise Gramatical

O foco da música está na sua abordagem, no sentido de estabelecer um sentido de mudança inevitável, ainda que incalculável. Também uma crítica à repressão ou mesmo ao problema de comunicação na sociedade. Vê-se ainda na atualidade, como na sociedade citada na letra da música, a mesma idolatria, a falta de comunicação e empatia de uns com os outros e que na vivência da sua bolha individual, se perdem as interações humanas.A agitação dos nossos dias, ensurdecem os corações e as almas.

Considerações finais

Obrigado por assistirem!

Interpretação
  • Retrata a solidão sentida ainda que no meio de uma multidão.
  • A ausência de interação e empatia dando lugar individualismo das pessoas
  • Como se uma multidão existisse adormecida no silêncio
  • O autor encara o lado sombrio do seu interior como um velho amigo
  • Quase como desabafo ou pressentimento que algo mudou causado por um sonho sombrio
  • Algo permanece adormecido dentro de si em silêncio

Interpretação

Interpretação
  • Questiona a fé para o deus que as pessoas criaram
  • Longe do brilho do neon que os ofusca está a salvação
Interpretação
  • O narrador mostra a solidão e frieza das ruas na sua caminhada
  • a ameaça da luz forte que provoca o som do silêncio (acutilante)
Interpretação
  • o narrador age como uma alma acordada quase em forma de messias
  • Alerta para o perigo da solidão do silêncio.
  • Frustração por não ser ouvido..
Interpretação
  • Na ausência de som as mensagens estavam escritas pela cidade
  • Que existe som no silêncio, se ouvirem os sussurros da consciência