Want to make creations as awesome as this one?

Transcript

Os Maias e Amor de Perdição

Predominância do romantismo e do realismo

Trabalho realizado por:Rafael Luís nº12 11ºD

Realismo - Os Maias

Na obra Os Maias, Eça de Queirós revela-se preciso a compor as descrições, tanto de espaços sociais como de cenários campestres através das percepções visuais. Temos o exemplo de: a casa dos Gouvarinho, o Ramalhete, o teatro da Trindade, entre outros. O autor ambém é muito pormenorizado nas descrições de espaços mais naturais como Sintra ou a Quinta Santa Olávia.

Um exemplo de uma caracterização pelas percepções visuais em Os Maias é: “De ambos os lados se cerraram filas de cabeças, embebidas, enlevadas, atulhando os bancos de palhinha até junto ao tablado, onde dominavam os chapéus de senhoras picados por manchas claras de plumas ou flores”. Para representar os espaços da forma mais realista possível, o autor domina a técnica da verosimilhança.

Realismo - Os Maias

Exemplo de sensação olfativa: “as chaminés … ornavam-se de braçadas de flores, como um altar doméstico; era ainda aí, nesse aroma e nessa frescura, que ele gozava melhor o seu cachimbo” (Capítulo I). Exemplos de sensações auditivas e táteis: “envolvia-os pouco a pouco a lenta e embaladora sussurração das ramagens e o difuso e vago murmúrio das águas correntes” e “o ar subtil e aveludado” (Capítulo VII).Em alguns casos acontece a sinestesia, ou seja, a mistura de várias sensações humanas como “luz macia” que recorre à sensação visual e tátil.

Realismo - Os Maias

N’Os Maias conseguimos observar diferentes relações entre os personagens, nas quais as mais importantes são entre Pedro da Maia/Maria Monforte, Ega/Raquel Cohen e Carlos da Maia/Maria Eduarda. Entre estas relações, podemos verificar que a de Carlos da Maia é a mais influenciada pelos ideais do amor romântico, pois é uma relação mais dramática, devido ao incesto mas também pelo facto de os dois enfrentarem as convenções sociais e decidirem ficar juntos.

Romantismo- Os Maias

Romantismo - Amor de Perdição

O autor utiliza diversos recursos para envolver os personagens num eterno conflito com a sociedade e com a vida. Podemos confirmar isto no facto de algumas personagens serem amadas e outras ignoradas, também pelo facto de haver diversas cartas carregadas de tristeza e na ideia de haver um amor impossível entre personagens. Permitiu-nos também observar que o Romantismo está marcado pela pouca liberdade de expressão que alguns personagens possuem e o pensamento da época que é muito diferente do atual.

.

Romantismo - Amor de Perdição

Em Amor de Perdição existe a presença de um herói romântico em Simão. Um herói romântico é aquele que se move e luta por razões dignas, como o amor, a justiça e a liberdade. No caso de Simão, ele pode ser classificado como um herói romântico porque dedica-se aos estudo depois de se apaixonar, mostrando ser um rapaz nobre, dedica a sua vida a um amor idealizado e a mais importante de todas, é capaz de cometer crimes por amar, neste caso matou Baltasar para que este não casasse com Teresa.

Embora exista predominância do Romantismo, Amor de Perdição também possui caracteristicas do Realismo. Os elementos realistas de Amor de Perdição estão na crítica às instituições religiosas, aos conventos e no comportamento da época, que dava muito pouca liberdade de expressão às mulheres e como as famílias arranjavam os casamentos para as mesmas. Outra crítica muito abordada na obra é como os ricos e nobres possuem poder sobre a justiça, como quando o pai de Simão consegue alterar a sua pena de morte.

Realismo - Amor de Perdição