Want to make creations as awesome as this one?

More creations to inspire you

Transcript

Poeta Épico e Lírico

Luís Vaz de Camões

Nascimento-1524 Lisboa, Reino de Portugal Morte-10 de junho de 1579 ou 1580 (55-56 anos) · Lisboa, Reino de Portugal Nacionalidade-português Ocupação-poeta, escritorMagnum opus-Os Lusíadas

Luís Vaz de Camões

Luís Vaz de Camões

Poesia Épica Os Lusíadas

Lusíadas

Os

Caracteriza-se por ser narrativo, apresentar um herói e fundamentar-se em fatos históricos. O eixo narrativo de Os Lusíadas relaciona-se a história do expansionismo europeu nos séc. XV e XVI e as conquistas de novas terras, ampliando as fronteiras do mundo e dando início ao colonialismo.

Poesia Épica

Natureza da Obra

Epopeia - poema narrativo de exaltação de um acontecimento digno de ser louvado e com alcance universal

Estrutura Externa

  • Dez cantos com número variável de estrofes.
  • Estrofes de oito versos-oitavas.
  • Versos decassilábicos.
  • Rima cruzada (seis primeiros versos) e emparelhadas (dois últimos versos).

Estrutura Interna

  • Proposição - Identificação do objeto e da dinalidade do canto.
  • Invocação - apelo ás musas do Tejo para inspiração.
  • Dedicatória - oferecimento da obra ao rei D. Sebastião.
  • Narração - in medias res.

Quatro planos Intercetados

  • Plano de Viagem - ação central.
  • Plano da Mitologia - articulado com o anterior.
  • Plano da História de Portugal - encaixado no primeiro.
  • Plano das Reflexões do poeta - ocasional e motivado pelos factos narrados

Reflexões do poeta - antiepopeia

Imaginário épico

  • Matéria épica - viagem de Vasco da Gama até a Índia; feitos históricos dos Portugueses nos reinados anteriores a D. Sebastião (analepse) ou futuro (profecias).
  • Sublimidade do canto - forma adequada ao conteúdo - estilo ''grandílocoe corrente'' -, capaz de ajudar a imortalizar o herói (daí o apelo as ninfas).
  • Mitificação do herói - exaltação da coragem, da determinação, da superação do medo por parte dos Portugueses, o que faz com que se elevem acima dos heróis da Antiguidade,
O herói apresenta um ideal de Homem; ultrapassa a condição humana humana ao apresentar-se enquanto figura que se rege por ideais nobres, desprezando os valores vis.
  • Fragilidade e efemeridade da vida humana (Canto I, est 105-106)
  • Desprezo pelas artes e pelas letras (Canto V, est 92- 100)
  • Lamentos do poeta (infortúnios)/ Explicitação de quem merece ser cantado. (Canto VII, est 78-87)
  • O poder corruptor do dinheiro. (Canto VIII. est 96-99)
  • Imortalização do nome - o verdadeiro caminho para a fama. (Canto IX. est 88-95)
  • Desvalorização da arte: Críticaao estado de decadencia do país: exortação a D. Sebastião. (Canto X. est 145-156)

Metáfora - comparação sem termos comparativosSinédoque - Parte pelo todo ou todo pela parte

Recursos Expressivos Rimas

Anáfora – Repetição da mesma palavra no início dos versos, frases ou períodos. Ex.: Agora sobre as nuvens os subiam As ondas de Neptuno furibundo; Agora a ver parece que deciam Às íntimas entranhas do Profundo.

Apóstrofe – Interpelação direta do interlocutor; chamamento de uma pessoa ou de uma entidade . Corresponde, na análise sintáctica, ao vocativo. Ex.: E vós, ó bem nascida segurança

Recursos Expressivos Os Lusíadas

Luís Vaz de Camões

Poesia Lírica Rimas

Temas

O amor, a saudade, a natureza e reflexões filosóficas, tambem a mortalidade e a efemeridade de vida.

A Lírica revela uma parte mais íntima do poeta, Expressão Emocional intensaUso de SonetosInfluencia PetrarquianaLinguagem rica e poéticaVersatilidade Métrica Beleza EstéticaEquilíbrio Formal.

Características

A Lírica Camoniana na sua medida moderna segue nos modelos estéticos renascentistas, que surge a par da poesia trovadoresca dos Cancioneiros

Poesia Lírica

  • Poesia Peninsular;
  • Corrente Italiana;
  • Corrente Greco-latina

Tres correntes líricas

Rimas

Luís Vaz de Camões