Want to make creations as awesome as this one?

More creations to inspire you

STEVE JOBS

Horizontal infographics

ONE MINUTE ON THE INTERNET

Horizontal infographics

SITTING BULL

Horizontal infographics

BEYONCÉ

Horizontal infographics

ALEX MORGAN

Horizontal infographics

Transcript

Capítulo III

Louvores aos peixes em particular

Contexto

pEIXE de tOBIAS

pEIXE rémora

naus

peixe torpedo

peixe quatro-olhos

Louvores feitos aos peixes no final

Title here

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit, sed diam nonummy nibh euismod tincidunt ut laoreet dolore magna

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit, sed diam nonummy nibh euismod tincidunt ut laoreet dolore magna

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit, sed diam nonummy nibh euismod tincidunt ut laoreet dolore magna

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit, sed diam nonummy nibh euismod tincidunt ut laoreet dolore magna

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit, sed diam nonummy nibh euismod tincidunt ut laoreet dolore magna

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit, sed diam nonummy nibh euismod tincidunt ut laoreet dolore magna

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit, sed diam nonummy nibh euismod tincidunt ut laoreet dolore magna

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit, sed diam nonummy nibh euismod tincidunt ut laoreet dolore magna

" Descendo, ao paricular, infinita matéria fora, se houvera de discorrer pelas virtudes"

Integra a Exposição e Confirmação do Sermão de Santo António, escrito por Padre António Vieira. Elogia as virtudes dos peixes em particular em oposição aos vícios dos Homens.

Louvores aos peixes em particular

  • Virtudes: poder curativo "... o fel era bom para sarar da cegueira, e o coração para lançar fora os Demónios..." (l18-19); "... alumiar e curar as vossas cegueiras; e outra é lançar-vos os Demóniosfora de casa." (l33-34).
  • Analogia com Santo António: Existem semelhanças, pois ambos fazim os Homens ver a virtude e afastar-se do pecado "... parecia um retrato marítimo de Santo António..." (l26).
  • Crítica aos Homens: Perseguiam Santo António (tal como os moradores de Maranhão perseguiam Padre António Vieira) e não queriam ver a verdade, aginto com maldade "Pois a quem vos quer tirar as cegueiras , a quem vos quer tirar os Demónios, persegueis vós?" (interrogação retórica l34-35)

Peixe de Tobias

  • Virtudes: persistência e força "...peixinho tão pequeno no corpo, e tão grande na força e no poder..."(l40-41) "...amarra mais, que as mesmas âncoras, sem se poder mover..."(l42-43);
  • Analogia com Santo António: A língua de Santo António foi uma rémora na terra "Rémora houve na terra, foi a língua de Santo António" (l 45-46). Esta parte do corpo, tinha força para dominar as paixões humanas, tais como: a soberba; a cobiça; a sensualidade; a vingança "...mostrou a língua de António quanta força tinha, como Rémora, para domar, e parar a fúria das paixões humanas." (l52-53)
  • Crítica aos Homens: Os Homens deixam-se levar pelas paixões humanas. Deveriam existir mais Rémoras na Terra para minimizar a corrupção, os infurtúnios e as injustiças, como foi a língua de Santo António.

Peixe Rémora

  • Nau Soberba (velas içadas pelo vento): O vento simoboliza o caráter vão do pecado da soberba (orgulho desmedido). A língua de Santo António leva as velas a amainarem e a tempestade a terminar. (l54-56)
  • Nau Vingança (carregada de material de guerra): O arsenal de guerra pronto a disparar e o facto de avançarem "enfunados" simbolizam a fúria e a impetuosidade que arrastam as pessoas que se movem pelo desejo da vingança. A língua de Santo António detém a fúria, caba com a ira e o ódio e faz a nau içar as bandeiras de paz. (l56-59)
  • Nau Cobiça (sobrecarregada): A carga excessiva simboliza o resultado da cobiça, que leva os Homens a acumularem bens materiais. A língua de Santo António salva as nau dos corsários. (l59-62)
  • Nau Sensualidade (cega/sem so/engano do canto das sereias): A cegueira e a desorientação simbolizam o que sucede aos que se deixam levar pela sensualidade, caindo facilmente na tentação. A língua de Santo António impede a nau de naufragar, os seus ocupantes readquirem a capacidade de ver e voltam a assumir o rumo certo. (l62-68)

Naus

  • Virtudes: poder persuasivo, faz tremer o braço do pescador "...picando na isca o Torpedo, começa a lhe tremer o braço... a virtude do peixezinho, da boca ao anzol, do anzol à linha, da linha à cana, e da canaao braço do pescador." (l 72-76)
  • Analogia com Santo António: Santo António também fazia os Homens "tremer" e arrepender-se "...as palavras do Santo os fizereram tremer a todos de sorte, que todos tremendo se lançaram a seus pés, (...) todos tremendo restituíram o que podiam (...), todos enfim mudaram de vida, e de ofício, e se emendaram. " (l 83-85)
  • Crítica aos Homens: Os pescadores representam aqueles que se aproveitam do poder para satisfazer a sua ganância.

Peixe Torpedo

  • Virtudes: capacidade de discernimento, tem dois pares de olhos, em que um olha para cima e outro para baixo. "...deu-lhes dois olhos, que diretamente olhassem para cima, para se vigiarem das aves, e outros dois que diretamente olhassem para baixo para vigiarem dos peixes" (l 98-99)
  • Analogia com Santo António: Santo António também ensina aos Homens que devem pensar no Céu e no Inferno. (L 106-109)
  • Crítica aos Homens: Muitas pessoas vivem da "cegueira" (pecado) há séculos "... queria voltados os seus olhos de modo, que não vissem a vaidade, e isto não o podia fazer neste mundo..." (l 113-114)

Peixe Quatro-Olhos