Want to make creations as awesome as this one?

Transcript

Letícia Monteiro Nº18 10ºPTCP

Salto em Altura

08. Webgrafia

07. Conclusão

06. Ícones do Salto em Altura

05. Treinamento e Condicionamento

04. Técnicas de Salto

03. Regras

02. História?

01. O que é?

ÍNDICE

O que é o salto em altura?

O salto em altura é uma prova de atletismo onde os atletas tentam saltar sobre uma barra horizontal posicionada a certa altura, utilizando apenas o impulso do próprio corpo. O objetivo é superar a barra sem derrubá-la. Esta modalidade exige não apenas força e velocidade, mas também técnica e coordenação.

Historia

A partir dessa evolução, recordes mundiais foram estabelecidos, como o salto de 2,45 metros de Javier Sotomayor em 1993, que ainda é o recorde masculino, e o salto de 2,09 metros de Stefka Kostadinova em 1987, o recorde feminino. O salto em altura é uma prova de atletismo que combina força, técnica e estratégia, e continua a desafiar os limites dos atletas.

A maior revolução veio em 1968, quando Dick Fosbury apresentou o Fosbury Flop, uma técnica onde o atleta salta de costas para a barra, permitindo maior altura. Esta técnica rapidamente se tornou a mais eficiente e foi adotada por quase todos os atletas.

A história do salto em altura é uma jornada de inovação e superação, com raízes na Grécia Antiga e evolução significativa a partir do século XIX. Inicialmente, técnicas simples como a tesoura foram utilizadas, seguidas pela técnica Western Roll introduzida por Michael Sweeney em 1895, e posteriormente a técnica Straddle, dominante no início do século XX.

Regras

Tempo: Cada atleta tem um tempo limite para realizar cada salto, geralmente de 1 a 1,5 minutos. Exceder esse tempo resulta em uma tentativa falhada.

Decisão de Vencedor: O atleta que saltar a maior altura vence a competição. Em caso de empate, o atleta com o menor número de tentativas falhadas na altura máxima ganha. Se ainda houver empate, considera-se o número total de falhas na competição. Se ainda persistir o empate, os atletas podem optar por continuar saltando com a barra elevada até que um deles supere a altura.

Tentativas Válidas e Falhas: O salto é considerado uma falha se o atleta derrubar a barra durante a tentativa. O salto é inválido se o atleta tocar no solo além do plano vertical da barra antes de saltar. Se um atleta falhar três vezes consecutivas em qualquer altura, ele é eliminado da competição.

Execução do Salto: O atleta deve saltar usando apenas uma perna na descolagem. Qualquer técnica pode ser usada para superar a barra, embora a maioria dos atletas use o Fosbury Flop.

Área de Salto: A área de salto inclui uma pista de corrida, uma área de descolagem e uma área de aterragem com um colchão acolchoado. A barra horizontal deve ser colocada entre duas hastes de suporte e deve ser facilmente derrubada se tocada pelo atleta.

Estrutura da Competição: Cada atleta tem direito a três tentativas para superar cada altura. A altura da barra é aumentada progressivamente, geralmente em incrementos de 3 a 5 centímetros, até que apenas um atleta permaneça.

As regras do salto em altura são estabelecidas pela World Athletics (antiga IAAF) e incluem detalhes sobre a competição, a técnica permitida, e as condições de sucesso ou falha.

Técnicas de Salto

Técnica Fosbury Flop: A maior revolução no salto em altura ocorreu em 1968, quando Dick Fosbury introduziu a técnica Fosbury Flop. Nesta técnica, o atleta corre em curva em direção à barra e salta de costas para ela. Durante o salto, o atleta arqueia o corpo para maximizar a altura, passando a cabeça e os ombros primeiro, seguidos pelo tronco e as pernas. Esta técnica se mostrou extremamente eficiente e rapidamente se tornou a mais utilizada no salto em altura.

Técnica Straddle: A técnica Straddle, dominante nas décadas de 1930 a 1960, envolve uma abordagem angular. O atleta corre em direção à barra em um ângulo e salta de uma perna, passando a outra perna e o tronco sobre a barra com a barriga para baixo. Esta técnica permite uma melhor utilização da força do corpo e foi usada por muitos campeões olímpicos e mundiais.

Técnica Western Roll: Introduzida por Michael Sweeney em 1895, a técnica Western Roll envolve uma abordagem lateral. O atleta corre em linha reta ou ligeiramente diagonal em direção à barra, salta de uma perna e passa a outra perna e o tronco sobre a barra de lado, com a barriga para baixo. Esta técnica foi uma evolução significativa em relação à técnica da tesoura.

Técnica da Tesoura: A técnica da tesoura é uma das mais antigas utilizadas no salto em altura. Nela, o atleta corre em linha reta em direção à barra, salta de uma perna e passa uma perna de cada vez sobre a barra, em um movimento que lembra uma tesoura. Esta técnica foi muito popular no final do século XIX e início do século XX.

O salto em altura evoluiu significativamente ao longo dos anos, com várias técnicas sendo desenvolvidas e refinadas para permitir que os atletas superem alturas cada vez maiores.

Fosbury Flop: Técnica revolucionária que permite saltos mais altos devido à utilização ótima da energia cinética e potencial do corpo.

Straddle: Técnica avançada que permite um melhor uso da força do corpo, mas requer grande coordenação e flexibilidade.

Western Roll: Maior eficiência em relação à tesoura, introduzindo uma abordagem lateral.

Tesoura: Simples e intuitiva, mas limitada em termos de altura alcançada.

Comparação e Evolução das Técnicas

Treinamento e Condicionamente

Agilidade e Coordenação: Treinos que visam melhorar a agilidade, coordenação e tempo de reação, essenciais para uma abordagem eficaz e uma transição suave para o salto.

Flexibilidade e Mobilidade: Rotinas de alongamento e exercícios de mobilidade articular para melhorar a flexibilidade e amplitude de movimento, permitindo uma técnica mais eficiente e reduzindo o risco de lesões.

Treino de Potência: Exercícios de pliometria, como saltos e lançamentos de medicina ball, para desenvolver a potência explosiva necessária para a decolagem.

Treino Físico (Fortalecimento Muscular:) Exercícios específicos para fortalecer os músculos das pernas, tronco e membros superiores, essenciais para a impulsão e estabilidade durante o salto.

Treinamento e Condicionamento

Ícones

Charles Austin

Yelena Slesarenko

Dick Fosbury

Stefka Kostadinova

Ícones do Salto em Altura

Javier Sotomayor

O salto em altura vai para além de uma simples prova de atletismo. Representa a expressão da determinação humana, da procura incansável pela superação dos limites físicos e mentais. Desde os primórdios das competições atléticas na Grécia Antiga até aos recordes impressionantes estabelecidos nos tempos modernos, esta modalidade continua a inspirar e cativar atletas e espetadores pelo mundo fora. A evolução das técnicas, desde a tesoura até ao revolucionário Fosbury Flop, reflete não só o avanço da ciência e da biomecânica, mas também a criatividade e inovação dos próprios atletas. Ícones como Javier Sotomayor, Stefka Kostadinova e Dick Fosbury deixaram um legado duradouro, inspirando outros a alcançarem novos patamares no desporto. Para além disso, o salto em altura é um teste não apenas da força física, mas também da coragem, concentração e resiliência mental. Os atletas enfrentam desafios constantes, tanto internos quanto externos, e é a sua determinação e habilidade de superar adversidades que os elevam ao estatuto de verdadeiros campeões. No final de contas, o salto em altura transcende as barreiras do desporto para se tornar uma metáfora da vida: uma jornada de altos e baixos, de desafios e conquistas, onde o verdadeiro triunfo está em nunca desistir de alcançar as alturas mais altas, tanto no campo quanto fora dele.

Conclusão

https://pt.slideshare.net/slideshow/concurso-do-salto-em-altura/26765792

https://pt.slideshare.net/slideshow/regras-salto-em-altura/10473470

https://pt.wikipedia.org/wiki/Salto_em_altura

https://www.infopedia.pt/artigos/$salto-em-altura

Webgrafia