Want to make creations as awesome as this one?

Transcript

Trabalho realizado por: Peixoto, Luísa Nº09; Bonnet, Maria Nº12; Diaz, Luísa Nº15

Desflorestação e Invasões Biológicas.

Perturbações no equilíbrio dos ecossistemas: Catástrofes Naturais e antrópicas

Introdução

Frequentemente as catástrofes naturais e antrópicas afetam o equilíbrio dos ecossistemas causando a perda de habitats, seres vivos e a destruição do nosso planeta. Neste trabalho foi-nos proposto pesquisar mais afundo sobre duas catástrofes: a desflorestação e as invasões biológicas. Mais concretamente sobre o que são; quais as suas causas; a forma como afeta os ecossistemas; as suas respetivas consequências; algumas medidas que o ser humano pode tomar para reduzir o impacto provocado e por último alguns exemplos de tal. Este trabalho tem como objetivo informar os leitores das consequências que estas catástrofes têm. Mas também para ensinar a outras pessoas, de que podemos reduzir estes impactos e fazer do mundo um lugar melhor, não só para o ser humano, como também para toda a biodiversidade.

Desflorestação

As perturbações nos ecossistemas são catastrofes naturais. Podendo ser classificadas como , catástrofe natural geológica como a sismicidade o vulcanismo o movimento do terreno ou catatrofe natural climática como as tempestades as secas e cheias

As perturbações no ecossistema:

A desflorestação é um ato realizado pelo ser humano que causa a perda da biodiversidade, das plantas e animais, podendo ser causado por incêndios e destruição para a obtenção de benefícios.

A desflorestação

A desflorestação tem várias causas, mas a obtenção do solo para a agricultura e a pecuária é a maior razão da desflorestação do mundo. Os incêndios são o maior motivo da desflorestação em Portugal. É também a razão para a diminuição do número de árvores, a produção de madeira e papel, e o crescimento das cidades e infraestruturas.

Quais as causas da desflorestação?

Devido aos impactos negativos que tem no ambiente, a desflorestação é uma preocupação global pois, quando as florestas são destruídas os ecossistemas são perturbados e entram em desequilíbrio, sendo as principais consequências a perda de biodiversidade, a emissão de gases de efeito estufa, a degradação dos solos e a alteração dos padrões climáticos.

De que forma a desflorestação afeta os ecossistemas?

A floresta da Amazónia, no Brasil.
A Taiga Siberiana, na Rússia.

Que catástrofes já ocorreram, e exemplos? Quais as suas respetivas consequências?

Com o aumento da desflorestação ao redor de todo o mundo, é fundamental impor medidas eficazes para reduzir o seu impacto negativo. As árvores, para além de produzirem oxigénio, também purificam o ar, limpando os seus gazes nocivos, sendo assim um filtro. Num período em que ambiente se encontra casa vez mais ameaçado, devido ao ser humano e não só, proteger as florestas deve ser prioritário.

Que medidas é que o ser humano pode tomar, para reduzir o impacto provocado pelas catástrofes e perturbações?

Invasões Biológicas

As invasões biológicas entede-se por o aparecimento de outras espécies no habitat de outros seres vivios, causando um desiquilíbrio no ecossistema. Esta catastrofe leva a que as espécies necessitem de utilisar os seus recursos para se defenderem , como por exemplo o furão, que é uma especie invasora .

Invasõens biológicas

As espécies invasoras ou exóticas podem ser introduzidas nos ecossistemas de muitas formas, algumas delas são: o comércio de espécies, a comercialização de plantas e animais exóticos é a principal causa; turismo, as visitas a outros países contribuem para o aumento de espécies exóticas, seja de forma intencional ou acidental; a caça e a pesca esportiva; o transporte e comércio internacional.

Quais as causas das invasões biológicas?

A espécie invasora trata-se de uma das maiores ameaças para a o equilíbrio dos ecossistemas. Normalmente distinguidas por populações numerosas, as espécies invasoras conseguem obter recursos de forma mais fácil do que as nativas o que resulta numa competição desigual que resulta em danos para o equilíbrio local

De que forma as invasões biológicas afetam o equilíbrio dos ecossistemas?

Há uma variedade de seres vivos que se espalham pelo mundo, tornando-se uma ameaça para a biodiversidade:

Kudzu

Caranguejo-vermelho-americano

Mexilhão-zebra

Chorão-das-praias

Vison-americano

Que invasões já ocorreram, e exemplos? Quais as suas respetivas consequências?

  • Criação de uma lei para proibir as importações de espécies exóticas:
  • Vigilância das vias de acesso com maior prevenção;
  • Detenção rápida destas, para evitar que a espécie invasora se estabeleça no respetivo habitat;
  • Destruição das espécies que se tenham conseguido expandir;
  • Controlar as pragas quando a sua destruição não for possível

A introdução das espécies invasoras nos ecossistemas, tem consequências negativas, não só para o meio ambiente, pois podem afetar a segurança alimentar, o controlo de doenças como também a economia. Há várias estratégias que podemos usar para reduzir os danos ptovocados por esta catastrofe:

De que forma, é que o ser humano pode controlar e reduzir o impacto provocado pelas espécies invasoras?

Em conclusão, as perturbações dos ecossistemas provocadas pelo ser humano e também naturais, têm um grande impacto nas várias regiões do mundo, prejudicando toda a biodiversidade, incluindo o ser humano. Urgentemente, temos de começar a arranjar mais soluções para salvar a vida de todos os ecossistemas e do nosso planeta. Este trabalho foi bastante interessante e importante, pois tivemos a oportunidade de adquirir mais conhecimentos sobre a desflorestação e as invasões biológicas e a forma como elas afetam o equilíbrio dinâmico dos ecossistemas.

Conclusão

https://www.iberdrola.com/sustentabilidade/especies-invasorashttp://www.fraguiar.pt/wp-content/uploads/2018/10/Silva_et_al._2018_Plantas-Invasoras-em-Ecosistemas-terrestres-e-dulçaquícolas.pdf http://www.fraguiar.pt/wp-content/uploads/2018/10/Silva_et_al._2018_Plantas-Invasoras-em-Ecosistemas-terrestres-e-dulçaquícolas.pdf https://www.iberdrola.com/sustentabilidade/especies-invasoras

Web Grafia

Floresta da Amazónia Certa de 80% da perda das florestas do brasil, está relacionada com a pecuária. Evidentemente, a destruição da Amazónia provoca desequilíbrios nos ecossistemas. Como podemos verificar, nas alterações climáticas mais concretamente com o aquecimento global. Há cerca de 30 anos, esta floresta absorvia e armazenava biliões de toneladas de dióxido de carbono, durante o processo de realização da fotossíntese, número que, nos dias de hoje de reduziu à metade. A consequência desta catástrofe é o aumento da quantidade de dióxido de carbono libertado para a atmosfera, que, por sua vez, contribui para o efeito de estufa, e assim para o aquecimento global. A perda de biodiversidade é outra consequência desta catástrofe. Esta destruição coloca muitas espécies em risco de extinção, o que resulta numa perda gradual da biodiversidade.
Kudzu (Pueraria montana lobata)

Esta planta trepadeira japonesa, considerada pela União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN) como uma das espécies invasoras mais daninhas, pode ser encontrada em lugares tão diversos. como o Cáucaso, sul da África, Suíça, Itália ou Canadá.

O Vison-americano (Neovison vison).

Este pequeno mamífero afetou inúmeras espécies protegidas de anfíbios, peixes e mamíferos como o vison europeu que, por sua culpa, está à beira da extinção.

Chorão-das-praias (Carpobrotus edulis).

Planta originária do Peru que costuma ser utilizada em decoração devido às suas chamativas flores. No entanto, ao crescer impede o desenvolvimento de outras espécies deslocando a vegetação nativa.

Caranguejo-vermelho-americano (Proca barus clarkii)

Representa uma ameaça para outros peixes, anfíbios e invertebrados aquáticos devido à sua voracidade. Além disso, é prejudicial para os arrozais e contém parasitas, metais pesados e toxinas.

Mexilhão-zebra (Dreissena polymorpha).

Espalha-se rapidamente provocando danos no habitat, na fauna e no abastecimento industrial, agrícola e urbano, uma vez que entope filtros e canos.

Taiga Siberiana:A taiga siberiana é rica em madeira, tal facto, que atrai atividades de exploração florestal, que geralmente acabam por derrubar as árvores do ecossistema. Com esta catástrofe, os ecossistemas acabam por ser derrubados, e levam a diversas consequências. A libertação de carbono é uma delas. A taiga siberiana capta/armazena elevadas quantidades de carbono através dos seus seres vivos, mas também no solo. causando uma alta acumulação de dióxido de carbono na atmosfera, que resultará no efeito de estufa e no aumento gradual da temperatura. A perda da biodiversidade também demonstra ser uma grande polémica no que toca a catástrofes nos ecossistemas. . A taiga é um habitat fundamental para muitas espécies adaptadas a climas de frio intenso. A desflorestação desta faz com que a taxa de sobrevivência das espécies lá existentes diminua progressivamente, devido à destruição e fragmentação do habitat.