Want to make creations as awesome as this one?

Transcript

“A Dimensão Ético-Política do ser humano"

Valores ético-políticos

Trabalho realizado no âmbito da disciplina de Filosofia, lecionada pela professora Manuela Marques

Índice

Rejeição do Utilitarismo

· Webgrafia

· Link do Kahoot

· Reflexões

A crítica comunitarista de Michael Sandel

A crítica libertista de Robert Nozick

· OBJEÇÕES À TEORIA DE JOHN RAWLS

Regra Maximin

Princípios da Justiça

Posição original e véu da ignorância

Quem foi John Rawls?

· A TEORIA DA JUSTIÇA DE JOHN RAWLS

Introdução (conceitos-base)

A filosofia política é o campo de estudo que explora os fundamentos e as implicações das práticas políticas e da organização social. O seu objetivo é entender como a sociedade deve ser estruturada e quais princípios devem orientá-la para promover o bem-estar e a convivência harmoniosa entre as pessoas.

Introdução

01

  • Justiça: conforma-se em dar a cada pessoa o que lhe é devido, assegurando que direitos e deveres sejam distribuídos de maneira equitativa, envolvendo a ideia de tratamento igualitário e o respeito pelas leis e pelos direitos humanos.
  • Política: atividade relacionada à governança e à organização de uma sociedade que inclui a tomada de decisões sobre a distribuição de recursos, o estabelecimento de normas e leis, e a gestão das relações de poder entre indivíduos e grupos, com o objetivo de promover o bem comum e manter a ordem social.
  • Problema que leva à introdução da sociedade justa: presença de desigualdades e injustiças que prejudicam a dignidade e o bem-estar das pessoas.
  • Relação entre Política e Ética: estão intimamente ligadas, pois para que uma política seja justa, deve estar baseada em princípios éticos sólidos, como a igualdade, a liberdade e o respeito pelos direitos humanos - sem uma base ética, a política pode tornar-se arbitrária e opressiva.

Conceitos-base

John Rawls (1921-2002) foi um filósofo norte-americano da moral, do direito e da política, defensor da perspetiva democrata e liberal. Este ex-professor de filosofia política e social na Universidade de Harvard, é descrito como um dos filósofos políticos mais influentes do século XX, particularmente devido à sua obra "Uma Teoria da Justiça", lançada em 1971.

Quem foi John Rawls?

A teoria da justiça de John Rawls

A "posição original" é uma situação imaginária criada por John Rawls onde pessoas racionais escolhem os princípios de justiça que vão governar a sociedade. Elas fazem isso sem saber nada sobre si mesmas, como raça, género, habilidades ou posição social, o que garante que as escolhas sejam justas e imparciais.O "véu da ignorância" é essa condição de não saber detalhes pessoais, impedindo que as decisões favoreçam alguém em particular. Isso assegura que os princípios escolhidos sejam justos para todos.

Posição Original e Véu da Ignorância

Rawls apresenta três princípios de justiça que ele acredita que seriam escolhidos na posição original: 1. Princípio da Igualdade de Liberdade: Cada pessoa tem direito a um conjunto igual de liberdades básicas, compatível com o mesmo conjunto de liberdades para todos. 2. Princípio da Igualdade de Oportunidades: Todos devem ter uma oportunidade justa de alcançar posições e cargos, independentemente das suas circunstâncias de nascimento ou outras características. 3. Princípio da Diferença: As desigualdades sociais e económicas só são aceitáveis se:- a) Beneficiarem os menos favorecidos da sociedade (Regra Maximin).- b) Estiverem ligadas a posições acessíveis a todos em condições de igualdade de oportunidades.

Princípios da Justiça

Regra Maximin

A regra maximin (parte do Princípio da Diferença) significa que devemos organizar a sociedade de forma que os menos favorecidos sejam os mais beneficiados. As políticas e arranjos sociais devem ser avaliados com base em como afetam aqueles que estão na pior situação, assegurando justiça e equidade para todos. A teoria de Rawls procura criar uma sociedade onde as regras são escolhidas sem favorecer ninguém em particular, garantindo justiça e equidade. A posição original e o véu de ignorância asseguram que os princípios escolhidos sejam justos para todos, independentemente das suas características pessoais.

Rejeição do Utilitarismo

Rawls rejeita o utilitarismo, que sugere que devemos maximizar a felicidade geral. Ele critica essa ideia porque pode justificar a injustiça contra alguns para beneficiar a maioria. Rawls acredita que a justiça deve respeitar a dignidade e os direitos de cada pessoa, sem sacrificar alguns para o bem de outros.

- A crítica libertista de Robert Nozick- A crítica comunitarista de Michael Sandel

OBJEÇÕES À TEORIA DE JOHN RAWLS

Robert Nozick (1938-2002) foi um filósofo norte-americano dedicado à filosofia política e diversas outras disciplinas, como a metafísica, ética e epistemologia. Este também ex-professor na Universidade de Harvard, sendo assim colega de John Rawls, é conhecido pelo seu livro "Anarquia, Estado e Utopia" (1974), uma resposta libertária a "Uma Teoria da Justiça" (1971) de Rawls, em que Nozick propõe o seu estado mínimo como a única forma de governo justificável.

Quem foi Robert Nozick?

A crítica libertista de robert nozick

Nozick critica as teorias de justiça padronizadas, como a de Rawls, que procuram impor um padrão específico de distribuição de bens. Ele acredita que essas teorias não respeitam a liberdade individual de escolher como utilizar e distribuir os seus próprios recursos. Para Nozick, a justiça deve ser vista em termos de processos, e não de resultados. O que importa é se as aquisições e transferências de bens foram feitas de forma justa, respeitando os direitos de propriedade. Qualquer tentativa de impor um padrão de distribuição pré-determinado é, para ele, uma violação da liberdade individual.

Rejeição de Teorias Padronizadas

Nozick apresenta o argumento da titularidade, que consiste em três princípios para determinar se uma distribuição é justa:

Princípio de retificação

Injustiças históricas na aquisição ou transferência de bens devem ser corrigidas, devolvendo ou compensando adequadamente os prejudicados.

Princípio de transferência legítima

As transferências de bens devem ocorrer de forma voluntária e justa, sem fraude ou coerção, respeitando a vontade e os direitos de propriedade.

Princípio de aquisição legítima

A apropriação inicial de bens deve ser feita de forma justa, respeitando critérios que não prejudiquem os direitos de outras pessoas.

O argumento da titularidade ou do justo título:

Estado mínimo - estado que se limita a impedir a indiscriminação de força sobre as pessoas e a sua propriedade, garantindo, desta e de outras formas, a sua segurança

Nozick defende um estado mínimo, cuja função principal é proteger os direitos individuais à vida, à liberdade e à propriedade. Para ele, qualquer intervenção do estado que vá além da proteção contra a violência, a fraude e a quebra de contratos é uma violação das liberdades individuais. Assim, o estado não deve redistribuir a renda ou interferir na economia para promover a justiça social, como sugere Rawls. Nozick argumenta que cada pessoa tem direitos inalienáveis, e o estado não tem o direito de obrigar os indivíduos a contribuir para a redistribuição de recursos.

O estado mínimo na teoria libertarista

Nozick argumenta que a teoria de Rawls, ao tentar corrigir desigualdades através da redistribuição, e a aplicação dos seus princípios: - não respeita os direitos de propriedade individual; - é uma forma de coerção injusta, pois obriga as pessoas a ceder parte das suas posses para beneficiar outros, independentemente de como esses recursos foram adquiridos; - pode levar a um estado expansivo e intervencionista, que ele vê como uma ameaça à liberdade individual.

EM SUMA:Críticas de Nozick à teoria de Rawls

Michael Sandel (1958) é um filósofo norte-americano, professor de filosofia política na Universidade de Harvard.Na sua obra "O liberalismo e os limites da justiça", lançada em 1982, apresentou a sua perspetiva comunitarista. Ficou bastante conhecido por divulgar o seu curso Justice, disponibilizado na Internet, em regime aberto.

Quem é Michael Sandel?

A crítica comunitarista de michael sandel

VS.

Comunitarismo

Liberalismo

Valoriza o papel das comunidades e das tradições na formação da nossa identidade e dos nossos valores, realçando a justiça contextualizada pelo bem comum.

Defende os direitos e liberdades individuais, destacando a importância da autonomia pessoal e da justiça como imparcialidade.

  • Segundo Sandel, Rawls separa artificialmente o conceito de justiça do conceito de bem, o que não reflete a realidade das nossas vidas que são profundamente moldadas pelos valores e contextos comunitários.
  • Sandel critica Rawls por basear a sua teoria da justiça na ideia de um "véu de ignorância", onde as pessoas escolhem princípios de justiça sem conhecerem as suas próprias identidades ou conceções de bem.
  • Argumenta que é impossível definir a justiça sem primeiro definir o que é bom. A conceção de justiça de uma sociedade deve estar ligada às conceções partilhadas do bem comum que emergem das suas práticas e tradições culturais.

A noção de bom é anterior à de justo

  • Sugere que uma teoria de justiça deve reconhecer a importância das comunidades e tradições na formação das nossas identidades e valores. A justiça deve, portanto, ser vista no contexto das práticas e tradições que definem uma comunidade.
  • Sandel critica a visão liberal de Rawls de que a identidade individual é anterior à comunidade. Rawls assume que as pessoas podem escolher princípios de justiça como seres racionais, independentemente das suas circunstâncias sociais e culturais.
  • Sandel, por outro lado, argumenta que a nossa identidade é, em grande parte, formada pelas nossas relações e contextos sociais. A comunidade não é apenas um conjunto de indivíduos; é o contexto que molda as nossas identidades e valores.

A comunidade precede o indivíduo

  • A teoria da justiça de John Rawls desafia-nos a pensar na justiça de forma imparcial e equitativa, assegurando a proteção dos direitos de todos, especialmente dos mais vulneráveis. Isto leva-nos a refletir sobre como podemos estruturar as nossas políticas e instituições para garantir não só eficiência, mas também equidade e dignidade para todos.
  • A crítica de Michael Sandel ao liberalismo destaca que as nossas ideias de justiça e identidade estão profundamente ligadas às nossas comunidades e culturas, sublinhando a importância do bem comum. Isto leva-nos a repensar as políticas e sistemas de justiça de forma a valorizar tanto a liberdade individual quanto os laços comunitários que nos definem.
  • Ao explorar os conceitos para uma sociedade mais justa e ao sugerir soluções para os desafios sociais, a filosofia política incita-nos a refletir sobre os valores que devem orientar a convivência entre as pessoas.
  • Na crítica de Nozick à teoria de Rawls, somos convidados a refletir sobre a defesa de um estado mínimo, que protege os direitos individuais e questiona a intervenção do Estado na redistribuição de recursos. Esta perspetiva realça a importância da liberdade individual e dos direitos de propriedade como fundamentais na construção de uma sociedade mais justa.

Reflexões

Perguntas de escolha múltipla sobre a Teoria da Justiça de John Rawls, a crítica libertista de Robert Nozick e a crítica comunitarista de Michael Sandel.

KAHOOT

BIBLIOGRAFIA ewebgrafia (sites consultados)

  • Ponto de Fuga, Filosofia 10º Ano, PIRES, Catarina; Areal Editores, 2023.
  • https://en.wikipedia.org/wiki/John_Rawls - consultado em 18/05/2024
  • https://en.wikipedia.org/wiki/Robert_Nozick - consultado em 18/05/2024
  • https://en.wikipedia.org/wiki/Michael_Sandel - consultado em 18/05/2024
  • https://fronteiras.com/leia/exibir/justica-como-fazer-a-coisa-certa-conheca-michael-sandel-1427124358 - consultado em 27/05/2024

webgrafia (imagens)

  • https://abre.ai/fotografiadejohnrawls - consultado em 18/05/2024
  • https://abre.ai/fotografiaderobertnozick - consultado em 18/05/2024
  • https://abre.ai/fotografiademichaelsandel - consultado em 18/05/2024
  • https://yorkfestivalofideas.com/2021/calendar/future-liberalism/ - consultado em 01/06/2024
  • https://www.aceprensa.com/politica/ideologias/comunitarismo-un-pensamiento-pol-tico-posmoderno/ - consultado em 01/06/2024
  • https://athonedu.com.br/blog/consultor-politico/ - consultado em 02/06/2024
  • https://medium.com/@nishit.patil/is-utilitarianism-alienating-7d29474af1e4 - consultado em 02/06/2024
  • https://pt.fi-group.com/service/plano-de-recuperacao-e-resiliencia/ - consultado em 02/06/2024
  • https://www.amazon.com.br/Anarquia-estado-utopia-Robert-Nozick/dp/8578274504 - consultado em 02/06/2024
  • https://www.imediato.pt/estado-guloso/ - consultado em 02/06/2024

pela atenção

agradecidos

Trabalho realizado por:

  • Daniela Oliveira 10ºC Nº1
  • José Duarte Nº4 10ºC
  • Paulina Calado Nº11 10ºC
  • Salomé Candeias Nº14 10ºC